A nossa adega

Ageda quinta mendes Pereira
| Adega Quinta Mendes Pereira |

Tradição e modernidade

Há uma casa onde o vinho nasce, cresce e depois repousa andes de lhe ser dada a vida pública. No coração da aldeia histórica de Oliveira de Conde numa construção origina de meados do século XIX, os vinhos da Quinta Mendes Pereira têm o privilégio adicional de habitar a casa dos vinhos, onde o conceito de armazém não existe.

A produção, vinificação e engarrafamento ocorre integralmente na Quinta Mendes Pereira, e o seu nome apenas é usado no engarrafamento dos lotes de vinho seleccionados e premiados.

A vindima ocorre em finais de Setembro sob os auspícios do padroeiro S. Miguel. Como é natural num vinho de terras altas a apanha é feita de forma manual para não danificar ou adulterar as uvas. Na adega, os frutos são espremidos de modo tradicional num lagar de pedra granítica, e aí permanecendo num estágio de 4 a 6 dias com constante “pisa-a-pé”, sob extremas condições de higiene.

O Processo

Há que extrair todo o sumo das uvas e transferir a coloração da casca para o precioso néctar. Este processo artesanal assegura a melhor transição dos taninos da pele da uva para o mosto dentro do lagar, dada a constante interacção em movimento. Consegue-se a total separação do bagaço sem moagem das grainhas e pele, evitando assim os “amargos” provenientes da trituração parcial do bagaço, típica de produções não artesanais, ou seja sem nenhum tipo de adulteração no paladar. A fermentação e estágio processa-se em cubas metálicas ou em cubas tradicionais de cerâmica/epoxy. O estágio em tonéis madeiras de carvalho é usado de forma cuidadosa por forma a preservar ao máximo as caracteríscas originais das castas nobres que usamos. … A embalagem.

A Garrafa

A rolha apresenta a identificação da marca e é feita de finíssima cortiça para garantir um período sem degradação tão extenso quanto o consumidor do vinho desejar guardar e “envelhecer” as colheita preciosas. (rolha de qualidade Superior, calibre 45×26). Os vinhos Quinta Mendes Pereira Tinto apresentam-se numa garrafa tipo “Borgonha”, mantendo a tradição da região demarcada do Dão, com uma coloração verde escura acastanhada, de modo a conservar todas a características do vinho existentes no momento do engarrafamento.

O gargalo é alto, exagerando a elegância da forma da garrafa e facilitando o servir do vinho a partir da própria garrafa. (modelo Borgonha classe 75 Antique). A forma padronizada de apresentação consiste em caixas cartonadas com seis garrafas que identificam o produtor. As garrafas estão protegidas entre si com tela de cartão reciclado.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: